O "Tabuleiro Desenhado"

1480 anos a.C.

É irônico pensar que a história da arte deve agradecer aos ladrões de túmulos egípcios! Porque os artistas egípcios, ao criarem uma estratégia para proteger os túmulos dos roubos, acabaram nos deixando aulas de como criavam a sua arte!
Mesmo quando o Egito era uma grande nação haviam muitos roubos de túmulos. Afinal, os egípcios mais abastados eram enterrados junto com suas riquezas.
Então para evitar tais roubos os arquitetos tiveram uma ideia: Criar uma tumba que parecesse inacabada, e nela esconder uma passagem secreta!
 
Então a sala era criada com desenhos em rascunho, esculturas pela metade, e até desenhos com correções dos professores... E então, em algum canto encenavam um desmoronamento. 
Assim um ladrão que achasse a tumba chegaria até a metade e acreditaria que durante o processo de construção houve um problema de estrutura e todos abandonaram a obra (coisa que acontecia de fato em muitas construções egípcias). O Ladrão ia embora frustrado! E esse truque enganou até mesmo exploradores modernos! 
Diagrama da tumba KV17 no Vale dos Reis, no Egito. A esquerda a sala não terminada, com correções de professores (cuja foto está no topo dessa página). À Direita a escada que foi soterrada e escondia a real sala do faraó Seti primeiro. (retirado do documentário "engineering an empire: Egipt"
Observando essas câmaras inacabadas já descobrimos uma infinidade de processos de criação de arte egípcia. Mas para nosso estudo da história das proporções do retrato o item mais interessante encontrado em uma dessas salas é o "Tabuleiro desenhado".
Batizado de "The Egypt Drawing Board" pelo Museu Britânico, onde a peça está hoje em dia, o pedaço de madeira de 53x38 cm tem instruções precisas de como desenhar o corpo humano e situações diferenciadas de pose dos braços.
Podemos atribuir ao Tabuleiro o título de "Primeira apostila de desenho de proporções do corpo humano do mundo". Mas... 
Alguns acadêmicos discordam. Isso porque desenhar um  hieroglifo está muito mais para um trabalho de escrita do que uma representação imagética.
 
Ou seja, no estudo acadêmico e histórico esses corpos são letras! Cada Hieroglifo representa um som, assim como nossas sílabas. Então se você usar essa regra de desenho livremente e colocar o personagem em qualquer outra posição estará conceitualmente errado. Cada pose significa algo, e o artista, ao usar o tabuleiro como guia está seguindo uma orientação caligráfica, e não proporções pra se guiar ao desenhar uma pessoa.
Todo esse material que você está lendo sobre a História das Proporções do Retrato faz parte do curso "Proporções da Cabeça" 
curso_banner.png